• 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 0
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
  • Hora Atual
  • No Ano
  • No Mês
  • No Dia
  • .

  • As doenças cardiovasculares foram as principais causas de óbitos nos últimos 10 anos no Brasil.
  • As doenças cardiovasculares foram responsáveis por 3.153.175 óbitos no Brasil de 2004 a 2013.
  • As doenças cardiovasculares representam cerca de 29% dos óbitos do Brasil de 2004 a 2013.
  • O Infarto do Miocárdio foi responsável por 9% dos óbitos no Brasil nos últimos 10 anos.
  • O Acidente Vascular Cerebral (Derrame) foi responsável por 9% dos óbitos no Brasil nos últimos 10 anos.
  • As doenças cardiovasculares são responsáveis pelo dobro de mortes causadas pelas neoplasias (Cânceres).
  • As doenças cardiovasculares são responsáveis por 2,3 vezes mais mortes do que as causas externas ( acidentes e homicídios, agressões, etc).
  • As doenças cardiovasculares são responsáveis por 3 vezes mais mortes do que as doenças respiratórias.
  • As doenças cardiovasculares são responsáveis por 6,5 vezes mais mortes por infecções incluindo a AIDS.
  • As doenças cerebrovasculares, incluindo o derrame, foram responsáveis por 100.050 óbitos em 2013, no Brasil.
  • As doenças isquêmicas do coração, incluindo o infarto, foram responsáveis por 106.788 óbitos em 2013, no Brasil.
  • As doenças hipertensivas foram responsáveis por cerca de 50.000 óbitos em 2013, no Brasil.
  • Adote uma dieta rica em frutas, verduras,legumes e grãos
  • Uma alimentação rica em fibras ajuda a reduzir as taxas de colesterol
  • Uma vida menos estressada diminui o risco de infarto e reduz o colesterol
  • A prática de exercícios físicos reduz os níveis de colesterol no sangue
  • Opte por mais peixe grelhado ou assado e menos carnes fritas
  • Previna-se desde agora! A incidência da hipertensão aumenta com a idade
  • A hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada com tratamento. Procure seu médico!
  • Mexa-se! A prática de exercícios físicos contribui para o controle da pressão arterial
  • Manter o peso e evitar bebidas alcoólicas é ideal para o controle da pressão arterial
  • Tenha uma alimentação saudável. Diminua o sal
  • Pressão arterial acima de 14 por 9 caracteriza o Estágio I da hipertensão. Seja 12 por 8!
  • O tabagismo é a maior causa isolada evitável de adoecimento e mortes precoces no mundo
  • O hábito de fumar não traz prejuízos apenas para o fumante, mas para a família também
  • A fumaça possui cerca de sete mil elementos químicos, sendo alguns desses cancerígenos
  • Praticar exercícios físicos ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.
  • A atividade física é essencial no tratamento do diabetes
  • O sedentarismo é um dos fatores de risco para o diabetes: movimente-se
  • Mantenha um bom plano alimentar para evitar o risco de diabetes
  • Controle a glicemia antes e depois da prática de exercícios e perceba os benefícios
  • Diabetes sem tratamento pode causar outras doenças, incluindo AVC e infarto
  • Encare a vida com bom humor: evite o estresse
  • Evite o estresse com atividades físicas, mentais e recreativas
  • Para eliminar o estresse, respire de forma lenta e profundamente
  • Cuide do seu coração: fuja do estresse
  • Tenha uma alimentação rica em cereais integrais, vegetais e frutas para escapar do estresse
  • O sedentarismo é a causa de doenças como a hipertensão, diabetes e aumento de colesterol
  • A prática de exercícios ajuda a manter ossos, músculos e articulações saudáveis
  • A atividade física proporciona aumento de energia e bem-estar. Mexa-se!
  • Não fique parado: o sedentarismo é a segunda maior causa de mortes no mundo
  • Caminhadas diárias de 30 minutos são uma boa opção para começar. Vamos andar?
  • Prefira escadas a elevadores: pequenas mudanças diárias trazem benefícios à sua saúde
  • Combine uma alimentação equilibrada à prática regular de atividades físicas

Principais Fatores de Risco




  • Hipertensão

    A Hipertensão Arterial é a principal causa de morte no mundo, podendo favorecer uma série de outras doenças. Sem cura, nem sempre o tratamento significa o uso de medicamentos, sendo imprescindível a adoção de um estilo de vida mais saudável, como mudança de hábitos alimentares, redução do consumo de sal, atividade física regular, não fumar, consumo de álcool com moderação, entre outros. As principais complicações da hipertensão são AVC, por infarto agudo do miocárdio ou doença renal crônica. Além disso, a hipertensão pode levar a uma hipertrofia do músculo do coração, causando arritmia cardíaca. O tratamento de hipertensão de forma continua, amplia a qualidade e expectativa de vida.

  • Colesterol

    O colesterol desempenha funções essenciais em nosso organismo, como produção de hormônio e vitamina D. No entanto, o excesso de colesterol no sangue é prejudicial e aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Muitos fatores podem contribuir para o aumento do colesterol, como tendências genéticas ou hereditárias, obesidade e atividade física reduzida. No entanto, um dos fatores mais comuns é a dieta. As gorduras, sobretudo as saturadas, presentes em alimentos de origem animal, contribuem para o problema do colesterol elevado. Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e grãos evita o aumento do colesterol, além da prática de exercícios físicos e evitar o fumo e o estresse. Em muitos casos está indicado o uso continuo de medicamentos

  • Tabagismo

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A pessoa que fuma fica dependente da nicotina, considerada uma droga poderosa que atua no sistema nervoso central. É normal que, ao parar de fumar, os primeiros dias sem cigarros sejam os mais difíceis, porém, as dificuldades tendem a diminuir a cada dia. Pesquisas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam um risco maior de adoecer de câncer de pulmão, sofrer infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar, além de derrame cerebral. O estresse é a principal armadilha a ser evitada.

  • Estresse

    Caracterizado por sensações de medo, desconforto, preocupação, irritação, frustração, indignação, nervoso, a causa para o estresse muitas vezes pode ser desconhecida. Sentimentos de estresse e ansiedade são comuns também em pessoas que se sentem deprimidas e tristes. Alguns medicamentos podem provocar ou piorar os sintomas de estresse, além do uso de produtos com cafeína, drogas, álcool e tabaco. Quando essas sensações ocorrem com frequência, a pessoa pode ter um distúrbio de ansiedade. Algumas pequenas práticas, como alimentar-se melhor, praticar atividades físicas, rir mais, dormir melhor, entre outras, ajudam a amenizar o estresse do dia a dia.

  • Sedentarismo

    Caracterizado pela falta ou a diminuição da atividade física, o sedentarismo atinge órgãos vitais e impacta diretamente na saúde dos músculos e ossos. A prática de exercícios físicos traz muitos benefícios à saúde e ficar sem se exercitar pode causar vários tipos de doenças, principalmente as ligadas ao sistema cardiovascular. Obesidade, pressão alta, diabetes, aumento do colesterol, infarto, derrames, depressão, doenças articulares, são alguns exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe, além do risco principal de sofrer morte súbita.

  • Diabetes

    O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. Os principais sintomas do Diabetes tipo 1 são vontade de urinar diversas vezes, fome e sede frequentes, perda de peso, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náusea e vômito. O diabetes tipo 2 causa infecções frequentes, alteração visual, dificuldade na cicatrização de feridas, além de formigamento nos pés e furúnculos. O tratamento correto significa controlar a dieta, praticar exercícios, verificar a glicose, além de medicamentos orais e/ou aplicação de insulina.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA NA REDE

SBC SEDE RIO DE JANEIRO

Av. Marechal Câmara, 160 | 3º andar | Centro | Rio de Janeiro
CEP: 20020-907 | Tel.: (55+21) 3478-2700
E-mail: sbc@cardiol.br | Expediente: 08h00 às 18h00 | (Horário de Brasília)

Sociedade Brasileira de Cardiologia | Todos os Direitos Reservados © Copyright 2015 | Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br